Um talento perdido da patinação

patins

Naquela época, havia o incentivo à patinação na minha escola. O Dom Bosco era referência nacional. Cediam os patins, incluíram o esporte na grade escolar e ainda abriram matrículas para os que quisessem ter mais aulas à tarde.

Modéstia à parte, eu levava muito jeito. Sempre tive coragem e equilíbrio sobre as rodinhas. A única dificuldade era o peso daqueles patins, que eram exatamente como o da foto acima. Calçava 32, lembro-me bem.

Certa vez, fui convidado para uma grande apresentação. Foram três semanas de ensaios até a grande noite. Na coreografia, por ser o mais baixinho, fui o primeiro a surgir de trás das cortinas. Deu tudo certo. Nenhuma queda, nenhum erro. Porém, percebi que, na plateia, faltava o meu pai.

Anos depois, minha mãe revelou:

– Ele não quis ir, disse que não gostaria de ver o filho “bailarino”.

Abaixo, alguns registros que encontrei da pista de patinação do Dom Bosco.

patinacao_dombosco_3

patinacao_dombosco_1

patinacao_dombosco_2


Comente o post